Plural Gastronomia

ative novas possibilidades de percepção

Essa o Hermeto Pascoal vai gostar… março 31, 2009

Filed under: Uncategorized — Plural Gastronomia @ 1:17 am

Essa o Hermeto Pascoal vai gostar. Alguns músicos da Áustria fizeram o impossível, fundaram a VIENNA VEGETABLE ORCHESTRA em 1998. Essa trupe carateriza-se pela utilização de diversos instrumentos feitos de  abobrinhas, repolhos, cenouras, mandiocas, pimentões, ou seja, tudo que tenha um design e estrutura para produzir algum som. A apresentação soa um pouco contemporânea mas é difícil alguém que não tenha achado graça na história. Depois da execução da peça musical o público degusta uma bela sopa. Não há limites para o musical da Vegetable Orchestra.

Anúncios
 

Trufa Negra dos Pobres março 8, 2009

Filed under: Uncategorized — Plural Gastronomia @ 3:00 pm

_mg_03521

As Trompetas de la muerte  (Craterellus cornucopioides) são cogumelos com um formato de funil, possuem um chapéu grande ondulado e elástico. Sua textura é suave ao toque e sua cor pode variar de cinza a preto cinzas azul. 
A colheita deste cogumelo é feita do Verão até ao Outono, em bosques de solo úmido. 
Fresco pode ser mantido três dias na geladeira, também pode ser desidratado e moído até formar um pó.
A trompeta de la Muerte  é um cogumelo que tem um aroma muito profundo, obviamente reforçado quando está seco. Há vozes que afirmam que o seu sabor tem uma semelhança a trufas negras, por isso é também conhecido como “trufa dos pobres”. 
Acima vemos um arroz cremoso com trompetas de la muerte e acelga.


 

O aspargo em sua melhor forma março 6, 2009

Filed under: Uncategorized — Plural Gastronomia @ 12:59 am

aspargo

A melhor forma de consumir um aspargo para mim, é em tempura. Cozido “al dente” no gim para acentuar notas amargas e depois frito com uma leve massa preferencialmente seca. Esta entrada (foto)  fiz no Mayura, restaurante que fica no bairro barcelonês Eixample.

Tempura é um prato clássico da culinária japonesa, mas o que poucos sabem é que sua origem pode ter sido latina. Têmporas era o nome dado aos períodos de jejum realizados na quaresma. Missionários jesuítas espanhóis e portugueses introduziram nos séculos XVI e XVII o costume de comer peixes e verduras na quaresma, preferindo abster-se do consumo de carnes. Apesar da expulsão dos misionários o costume persistiu.

Os alimentos que compõe uma tempura são fritos durante pouco tempo (máximo 3 minutos). O óleo nunca deve queimar e os alimentos mesmo que totalmente imersos devem apenas obter um dourado superficial. Uma vez retirados do wok devem ser secos com papel toalha para retirar o excesso de gordura.

O óleo deve estar entre 168 e 180 graus. Para saber a temperatura correta antes de começar a fritar, introduza um pouco da massa na panela se as gotas baixam no fundo da panela e voltam em um minuto, a temperatura está correta.

Uma vez fritos os alimentos  o costume japonês sujere a imersão em molhos agridoces e a base de óleo de gergelin e shoyo.

 

ashes to ashes março 4, 2009

Filed under: cozinha,gastronomia,Uncategorized — Plural Gastronomia @ 3:07 am

O consumo de cinzas é remoto dentro da história da alimentação. Confunde-se com a descoberta do fogo, o tostado que gostamos dar a um pedaço de frango, se pensarmos bem é um princípio de uma cinza. Esta foto que ilustra talos de alho poró delicadamente cozidos e recheados por uma mousse de peixe, lembra FÊNIX renascendo das próprias cinzas já que essa cinza é da própria folha do alho poró mesclada com azeite , sal e pimenta. Fênix vive._mg_03344

 

Abacate sem leite e açúcar março 3, 2009

Filed under: cozinha,gastronomia,Uncategorized — Plural Gastronomia @ 2:05 am

 

Ceviche por Washington SilveraPor que no Brasil só consumimos o abacate batido com leite e açúcar ?

Rico em gorduras monoinsaturadas e fibras esta fruta ajuda a controlar o colesterol, além de melhorar o sistema circulatório e a pele. Suas propriedades não param por aí,  é rico em ácido fólico, que ajuda a prevenir defeitos congênitos e potássio, elemento que alivia a fadiga, depressão e problemas cardíacos.

Seu uso no universo salgado é amplo no México antes mesmo da conquista espanhola. Sendo o  guacamole um exemplo dessa cultura que atravessou as fronteiras .

Acima vocês podem ver minha versão de um ceviche, uma especialidade andina  (recomendo para dias de calor).  O camarão é marinado na acidez de limão ou lima e depois mesclado com tomate, cebola coentro ou salsinha, aqui o abacate suaviza a alta nota cítrica da marinada e o azeite de oliva coroa esse prato que merece ser provado sem reservas.

 

…continuo comendo flores… março 2, 2009

Filed under: Uncategorized — Plural Gastronomia @ 2:15 am

 

 

alcachofra-jpeg1A alcachofra tem o nome científico de Cynara scolymus, quando a consumimos é uma flor imatura que pertencente a mesma família das margaridas e dos girassóis. O Egipto e o norte da África são as possíveis regiões de origem dessa planta. A fama de ser afrodisíaca e ter propriedades nutritivas e  medicinais foi o motivo de ser amplamente consumida por gregos e romanos. Hoje em dia corresponde a um produto típico do meditterâneo, sendo a Itália, França e Espanha os maiores produtores. Desde esta região foi difundida a outras áreas que tem influencia étnica e condições climáticas mediterrâneas.
 

…continuo comendo flores…

Filed under: Uncategorized — Plural Gastronomia @ 2:11 am

 

alcachofra3
A versão que preparei acima foi realizada em um jantar no Biocenter, (Barcelona/España) em plena temporada de 2008. Se trata de um risotto onde a alcachofra foi cozida no vapor de um vinho branco e depois recheada com um risotto temperado com um parmesão da Emília Romana.